Meet the locals, Travel to Madeira
comments 2

Encontro com os Locais – Vanessa Medeiros, Madeira

Acredito que a melhor forma de viajar e conhecer um destino é através dos olhos de quem lá vive, por isso decidi criar um novo espaco no blog.

Chama-se “Encontro com os locais” e o objetivo é mostrar a através de pequenas entrevistas aos locais, o destino escolhido.

 

O primeiro encontro, é na Madeira, e é com muito orgulho, que tenho  o prazer de vos apresentar uma amiga de longa data.

Cheia de vida, com um sotaque madeirense lindo, a sua gargalhada é inesquecível e contagiante.

Está sempre pronta para um pezinho de danca,  yha! 🙂 , adora fotografar e ser fotografada, e é provavelmente a única que não se esquece de levar a máquina fotográfica numa noite com amigos…

Viajante apaixonada,tem muitas histórias para contar…desde a emboscada no Egipto a quando, vindo do nada, descobriu um primo no Brasil…:)

Permitam-me que vos apresente a: Vanessa Medeiros

 

Biografia


Filha de pai açoriano e mãe madeirense, quis o destino que Vanessa Medeiros nascesse e crescesse neste pequeno detalhe do Atlântico, a ilha da Madeira, até completar a maioridade, altura em que faz as malas rumo à nossa tão portuguesa Lisboa.

Aí instala-se, com alguma relutância própria de quem tem basalto a lhe correr nas veias, mas rapidamente abraça a capital e acomoda-se durante 9 anos, tempo mais que suficiente para se formar em comunicação, ingressar na instituição financeira que a vê amadurecer profissionalmente e, por fim, trazer consigo na bagagem de uma vida amigos até a próxima geração.

2004 é o ano que a traz de volta à ilha que a viu nascer, na década do disco sound, onde se radica e assina contrato vitalício com a maternidade.

Esta mãe há ano e meio, assume-se hoje como uma mulher otimista e insaciável quanto a tudo o que acredita ter ainda por viver.

 

O teu Esconderijo Secreto?

É um recanto de rocha e mar, bem perto de casa, onde as canavieiras germinam em liberdade mantendo na clandestinidade o trilho de acesso para os menos curiosos.

A água salgada é banhada pelo sol poente e usufrui das coordenadas da reserva natural do Garajau que lhe dão a translucidez ideal para arrefecer as ideias num mergulho de final de tarde em dia de semana.

 

O teu Restaurante preferido?


Depende da vontade do paladar no dia, mas é frequente deleitar-me com o risoto de espargos e vieira na companhia daquela vista arejada sobre o mar da barreirinha, no Riso.

 

O Melhor Cenário?

10002843_763396913670649_292373525_n

Porto Santo

 

A praia do Porto Santo é o cenário ideal para aquelas férias em família, em que fotografamos recordações da diversão no areal, os petiscos à beira-mar no final da tarde, os passeios descontraídos pela vila depois do jantar, as horas a fio de sono perfeito e ainda o bronzeado revigorizante que deixa qualquer mãe de 36 anos em vantagem no passe partout lá de casa.

Agora, se for para eleger o melhor cenário cinematográfico, que me perdoem as raízes madeirenses mas o óscar de melhor fotografia vai para S. Miguel, Açores.
Só aí sou teletransportada da civilização para um conto de fadas de suster a respiração, a meros minutos de distância, em que num ápice passamos do asfalto para a Laurissilva a brincar às escondidas com a Lagoa do Congro, por exemplo.

 

1957464_763397447003929_103927197_n

Azores – Lagoa do Congro

 

O Ponto de Encontro?

Pela manhã, café Golden.
Ao final da tarde, café Teatro.
À noite no restaurante marcado.

 

Para sair à noite?

Nada como aquela poncha conversadora e ao ar livre nas ruelas pitorescas da zona velha, onde o Vintage Bar é uma ótima alternativa para quem gosta de dançar cedo, para cedo voltar para casa, como esta mãe que se quer bem-disposta às 9 da manhã do dia seguinte.
Nas noites mais quentes, o ar livre do espaço lounge do Copacabana no Casino da Madeira convida a caipirinha a passear a pé até ao Noir, o mais recente espaço noturno aberto na Rua Princesa D. Amélia, onde a música ao vivo converte-se depois em pista de dança até às 4h da manhã.
Se a noite for das mais destemidas, o Jam é o desafio final, ao ritmo dos sucessos comercias do momento, alternados com os êxitos herdados da década de 80.

 

Às compras?

Cada vez mais opto pelo comércio tradicional de rua, onde encontramos espaços multimarcas de carimbo nacional, com peças que primam pela originalidade, seja no Funchal ou em qualquer outra cidade do país, em alternativa à produção em massa das grandes superfícies comerciais. É o caso da D. Hortênsia na Rua dos Aranhas, uma montra repleta de sugestões de vestuário e acessórios femininos para oferecer à tia, à amiga ou a mim mesma.

 

O que significa para ti “bem madeirense”?

1081714_763398100337197_946552996_n

Arraial madeirense


Um bom arraial veraneante, congestionado pela animação e boa disposição em hora de ponta, de barriga saciada pelo pau de louro de uma espetada partilhada com amigos e a alegria de todos em desgarrada com o jarro de vinho e a laranjada.

A tua Viagem de sonho?


São várias. Sinto-me abençoada por realizar como sou insaciável nessa matéria a cada viagem de sonho concretizada. Japão, Austrália e Índia, ocupam lugar cativo no top dos favoritos, sendo que a Tailândia conquistou o 1º lugar do pódio até o momento.

1974655_763397513670589_1821786392_n

Tailand – Pi Leh 2010 

 

 

Muito Obrigada pela partilha Vanessa!

Ipanema – Brasil Nov´11

 

Um beijinho

Sofia

 

email

2 Comments

  1. Pingback: Encontro com os locais – Cláudia Vasconcelos, Madeira |

Leave a Reply