Meet the locals, Travel to Madeira
comments 2

Encontro com os locais – Cláudia Vasconcelos, Madeira

Não é por ser minha prima, mas a próxima madeirense é fora de série .
Descrição de si própria no Twitter : demasiado complexa para definir…Concordo!

Para mim, sempre foi um génio, uma aluna brilhante que aos 16 anos costumava dar-me explicações de inglês.
Sempre atarefada, já naquela altura…pois tinha os livros da Agatha Christie para ler e coisas muito mais interessantes para fazer…:)
Excelente cozinheira, herança genética da nossa avó, devoradora dos livros de culinária que encomenda no Amazon, o que ela cozinha não se esquece…

Falar com ela é receber inspiração e motivação para seguir em frente.
Basta ver o seu percurso de vida para perceber que Cláudia, (Patricia para a família), nunca baixa os braços e tem uma fome insaciável de viver o melhor que a vida tem para dar.

Sempre com um sorriso de lado a lado, fazê-la feliz é encher-lhe a casa de família e amigos, à volta da mesa de madeira da cozinha.

Otimista, trabalhadora, viajante e uma grande amiga , deixo-vos com a Cláudia Vasconcelos:

281824_1688419308725_4850275_n

 

A sua Biografia

“Nasci na Madeira, onde cresci , até aos 18 anos ir estudar para Lisboa.

Parti da Madeira com vontade de ver o mundo, convencida que nunca mais voltaria a lá viver.
Aprendi cedo o valor da expressão “nunca digas desta água não beberei”: voltei para a ilha 5 anos depois e hoje em dia acredito que, podendo viajar, é a melhor casa que podemos ter.

Adoro cozinhar (e comer), e por isso as minhas melhores memórias, inclusive as das viagens, envolvem sempre vivências gastronómicas… sou a passageira do lado, cheia de sacos a cheirar a queijos, especiarias, ou quaisquer outras delícias locais.

 

Já escrevi um livro, plantei uma árvore, tive 3 filhos e tentei construir o meu futuro de acordo com o lema do Steve Jobs: “follow your passion”, mesmo que isso implique trabalhar ou estudar muito e recomeçar do zero vezes e vezes sem fim.

Estudei Relações Internacionais, Gestão, Marketing, e fui a Harvard fazer um curso de liderança.
Aventurei-me agora numa pós-graduação em Fiscalidade, enquanto trabalho numa empresa do Centro Internacional de Negócios da Madeira.

Pelo meio, tentei criar uma marca gourmet chamada Iamee e abracei a causa da Agricultura Biológica, que tento defender enquanto embaixadora para a Madeira da campanha do Jamie Oliver “Food Revolution Day” e como presidente da Organica-Associação de Promoção da Agricultura Biológica da Madeira.

Ritmo de vida possível às custas de uma família fenomenal, amigos sempre prontos para tudo e colegas de equipa e de trabalho excelentes”

 

1. O teu Esconderijo secreto?


A varanda do Reid’s Palace no final da tarde, com um copo de espumante na mão e a melhor vista do Funchal aos meus pés.

2. O teu restaurante preferido?


Gosto de variar, depende muito do meu estado de alma, do acontecimento e da companhia!

Para uma noite animada, adoro o ambiente da Zona Velha onde nunca faltam boas opções (para todos os bolsos). Desde uma pizza na Pizzaria da Atalaia ( a pizza, é sem sombra de dúvida a melhor da Madeira e arredores), a petiscos na Taberna do Zézinho das Moças ou no incontornável Jaquet, e ao peixe fresco (e boa carta de vinhos ) no Gavião Novo.

Fora da Zona Velha, as minhas opções variam entre o Shu.Aka, o Calhau e, nas raras vezes que o bolso permite, o Uva no Hotel the Vine ou Il Gallo D’Oro no Cliff Bay.

Quando saímos do Funchal, tento sempre parar no Faísca, uma pequena tasca no Ribeiro Frio (passados os pontos turísticos…), onde tudo é bom: a poncha, a espetada, a açorda madeirense, o prego no bolo do caco, a carta de vinhos…!

3. O melhor cenário?


A Fajã dos Padres, um cantinho de céu na terra.

Por do Sol na Faja dos Padres, Madeira

Pôr do Sol na Fajã dos Padres, Madeira

Sentimo-nos inebriados com aquele mar imenso, a costa recortada, aquele cheiro a maresia misturada com vinho madeira e frutos tropicais, adormecer sob um céu de estrelas e despertar com a força do mar a enrolar o calhau. Ainda lá guardo algumas das melhores memórias da minha adolescência.

4. O ponto de encontro?

Mercearia D. Mécia, para comemorar “Thanks God It’s Friday.”

Gin Gin

Gin Gin

5. Para sair à noite?

Vou sempre a reboque dos amigos. Quando não ficamos horas a fio no restaurante que escolhemos para jantar, acabamos por seguir invariavelmente para o Mini Eco bar.
Quando as forças permitem, acabamos a noite a tomar o pequeno-almoço no Mercado dos Lavradores.

6. Às compras?

Para comida, não passo sem o Mercadinho Biológico que se realiza todas as quartas-feiras ao pé do Golden Gate. É sem dúvida o melhor mostruário da grande qualidade dos produtos agrícolas madeirenses e onde se podem encontrar produtos diferentes para quem gosta de inovar.

Para roupa, como não tenho jeito nem prazer nesse tipo de compras, opto por lugares onde me posso apoiar no bom gosto e aconselhamento dos donos: é o caso das minhas amigas Patrícia Pinto e Gina Campos, nos seus Atelier e Showroom maravilhosos.

7.  5 sítios a não perder na Madeira?

A Fajã dos Padres, onde o tempo para e o mundo lá fora não existe, o Pico Ruivo, onde nos sentimos senhores das nuvens, o Porto Santo, onde nenhum mal resiste, a floresta Laurissilva, a pé pelas levadas ou num Land Rover e um passeio de Segway pela Zona velha do Funchal

Passeios na floresta Laurissilva

Passeios na floresta Laurissilva

8. O que significa para ti “bem madeirense”?

As missas do parto refletem na perfeição a alma do madeirense.

Católico assumido ou não, dedicado à família e aos amigos, não se importa de os arrastar para uma missa às 6 da manhã desde que seja seguida de uma poncha, uma sandes de carne de vinha e alhos, e muita cantoria.

Adoramos festas (e existem tantas ao longo do ano!) sobretudo se envolvem reunir a família e os amigos à volta de comes e bebes.
E porque nos orgulhamos tanto das nossas tradições há sempre quem leve o “seu” licor, as “suas broas”, preparadas especialmente para os dias da “Festa”. É uma altura mágica para mim, a melhor altura do ano para visitar a Madeira.

20140319-105953.jpg

O ano passado , na missa do Parto 🙂

 

9. A tua Viagem de sonho?

Todas as viagens têm o seu momento de sonho.
A mais especial foi sem dúvida Fiji e Sydney, cidade pela qual me apaixonei perdidamente à primeira vista, mas há tantas outras memórias marcantes…

Bombaim, com o seu mercado, onde me perdi a comprar especiarias, a Costa Rica, que cruzei do Atlântico ao Pacífico, a região de Bordeaux e as provas nos seus famosos “châteaux”, Soho em Nova Iorque, São Francisco e o Napa Valley, a Toscana, Paris, Londres, São Paulo…

Mikonos, Ilhas Gregas

Era uma vex em Mikonos …

A minha “bucket list” de viagens inclui Perú, Filipinas e Butão: http://www.pinterest.com/cvasconcelos/places-i-dream-of/

Obrigada pela partilha!

Sofia

 

Para mais dicas na Madeira, clique:

http://frommadeiratomars.com/encontro-com-os-locais-madeira/

 

email

2 Comments

  1. Pingback: (Português) Encontro com os Locais - Justi & Roberto -

Leave a Reply