Da Madeira
comments 25

Os ‘segredos’ do Funchal – São Pedro

Apesar de estarem à vista de todos, por vezes o Funchal surpreende-nos com revelações inesperadas.
“Segredos” por desvendar, que não são segredo nenhum, são apenas descobertas que vou fazendo pela nossa cidade e que venho aqui partilhar.
Espero que vos inspirem a descobrir quais são os vossos “sítios secretos” no Funchal.

Localização: São Pedro

Imaginem um bairro no centro da cidade com ruelas estreitas e íngremes que correm em direção ao mar.

Foi no século XV, que as famílias madeirenses começaram a viver nesta área, afastando-se de Santa Maria do Calhau, hoje conhecida por Zona Velha.
As casas deste bairro têm tapassóis de madeira, muros com cores quentes e pequenos jardins com buganvílias e flores trepadeiras. Aqui sente-se o silêncio, por vezes interrompido pelas vozes que ecoam das casas e das televisões.

É aqui que eu vivo, no ‘meu bairro’; São Pedro.


Para mim, esta zona tem um encanto especial.
Faz-me lembrar as ruas da minha infância, onde andava sempre a pé, de casa à escola, retida nos meus pensamentos, a dizer olá às sras que espreitavam à janela, e a imaginar como seria o Mundo quando fosse grande.
Hoje em dia, fico a imaginar no que todos aqueles cafés e lojas fechadas se poderiam transformar…:)

São Pedro é um dos meus refúgios preferidos, bem no coração do Funchal.
Apetece-lhe descobrir mais?
Aqui ficam algumas sugestões:

1. Faça uma paragem no Hotel Monte Carlo e deslumbre-se com a vista. Este hotel foi construído como residência e chegou mesmo a ser uma escola para 240 crianças gilbraltinas em exílio na Madeira, em 1946. Desde os anos 70 que é um hotel lindíssimo, já não se fazem hóteis assim…Veja a arquitectura neoclássica com pormenores neobarrocos e o bar cheio de estilo, no seu interior.


2. Espreite também para a antiga residencial de Santa Clara, construída em 1926. Lamentavelmente, hoje está fechada.

3. Visite a casa que aloja o Universo de Memórias de João Carlos Abreu. Nos seus jardins encontra um simpático café onde os chás de ervas, os scones e os bolos são caseiros e bons (mande por favor um beijinho à Carol, da minha parte).

4. Continue em direcção ao Museu da Quinta das Cruzes (Aberto de Terça a Domingo das 10:00 às 12:30 e das 14:00 às 17:30). Este foi também o local da antiga residência de João Gonçalves Zarco, capitão donatário do Funchal.
Nos seus jardins podemos admirar uma janela manuelina que pertenceu à fachada do antigo Hospital Velho.

A mesma janela no Hospital Velho ( Via Wikimedia Commons)
Via Wikimedia Commons

Não perca a estufa de orquídeas e o orquestrofone que foi fabricado por Limonaire Frères na França.


Foi trazido para a Madeira pelo Visconde Cacongo, depois de adquirido na Feira Internacional de Paris, em 1900, para animar as festas de jardim, nas quintas do Funchal. Ao ouvir a música a tocar, quase que somos transportados para o glamour desses tempos, ora veja:

5. Passe pelo antigo Hotel de Santa Clara, hoje Direcção Regional de Estatística. Este foi um dos primeiros hotéis da Madeira. Imaginem a vista que os turistas teríam daquela varanda…

6. Faça uma visita guiada ao Convento de Santa Clara ( às 10h e às 15h nos dias de semana) e deslumbre-se com a beleza das capelas privadas das irmãs clarissas, um verdadeiro encanto.


Adorava saber e ler mais sobre a vida das irmãs que por cá passaram. Soube que, naquele tempo, muitas filhas que ficavam por casar, acabavam por vir para aqui, viver. Traziam consigo o seu dote e riqueza, visível nas suas capelas privadas, onde vinham várias vezes por dia, para rezar. Note-se que as irmãs não tinham qualquer contacto com o exterior. Na Igreja é ainda visível uma pequena janela através da qual podiam comungar.



7. Há também uma casinha no pátio que é um mimo, uma autêntica casinha de bonecas. Foi construída para a filha do Dr. Frederico de Freitas (cuja casa, hoje museu, se encontra próxima) quando frequentava esta escola.

8. Conhece a lenda da capela que está na travessa dos Capuchinhos, a Capela das Almas? Esta, data de 1781 e no interior tem um retábulo, em talha pintada, que representa as Almas no Purgatório.

Eu descobri esta lenda recentemente, através de um trabalho que o meu filho fez para a escola, que conta assim: “Conta-se que eram 2 amigos que gostavam do jogo, até que um dia, um ganhou todo o dinheiro do outro, que não conformado decidiu matá-lo. Esperou-o num sítio escondido sob uma rocha, mas sempre que o amigo por ali passava, vinha rodeado de gente. Isto repetiu-se noites sucessivas, até que ele se apercebeu que as pessoas que acompanhavam o dito amigo, andavam sem tocar com os pés no chão. Assustado, confessou ao amigo a sua intenção, ao que este lhe respondeu: – Foram as almas que salvaram a minha vida e a tua alma.
E assim nasceu naquela mesma rocha, a Capela das Almas”.
Aberto ao público: 3ªf e 5ªf– 14:00 às 17:00, 4ªf – 09:00 às 11:00

9. Vagueie sem rumo pelo beco do Soca, miradouro das Cruzes, rua dos Arrifes e rua da Saúde e surpreenda-se!



10. Por último e se a tarde for solarenga, diga olá a este amigo que passa as tardes assim, refastelado ao sol 🙂

Se souberem mais “segredos” (deste ou doutro bairro no Funchal), que queiram desvendar deixem por favor, aqui um comentário.

Obrigada e Bons Passeios!

Filed under: Da Madeira

by

This blog talks about the island where I was born and live - Madeira, and my endless journey to discover the world until (one day, who knows) I get to visit Mars.

25 Comments

  1. Muito bom. Parabéns! Já que pede sugestões, ficou a faltar a oficina do Mestre Carlos Jorge Rodrigues, violeiro madeirense. Fica na Rua da Carreira, nº 237 (antes na R. dos Frias, nº 2). Visita obrigatória!

  2. Sandro Vieira says

    Parabéns pelo excelente artigo. E há muito ainda para contar em São Pedro… O jardim das ervas aromáticas , paredes meias com a casa-museu Frederico de Freitas e o lactário, o Museu Municipal com o aquário e as demais exposições, a Igreja de São Pedro, a Igreja Inglesa, no Quebra-Costas e tanto mais… Só é pena o estado em que está muito deste património. Há dias subi às coberturas do Hotel Madeira e do Hotel Orquídea e além das vistas soberbas e de muitos recantos deliciosos, também se vê muito abandono.

  3. Maria Emília Homem da Costa says

    Gostei deste “passeio” por tão belos segredos. Também me interesso por estes temas. As imagens que colecciono talvez não tenham a qualidade das suas. Parabéns. Continue.

  4. Branca de Almeida says

    Excelente artigo. Também eu sou de São Pedro 😉
    Apenas um reparo técnico e que não sei até que ponto estará ao seu alcance de o mudar. Na escolha de idioma aparece a bandeira do Brasil e não de Portugal. Sendo nós portugueses e estarmos aqui a defender o que é português (madeirense, funchalense), acho que ter lá a bandeira do Brasil fica um pouco contraditório.
    De resto nada a apontar que não seja de muito positivo.
    Fico a aguardar, com entusiasmo, mais artigos.

  5. Sendo funchalense de gema e bom conhecedor da minha cidade, esta é uma parte que não conheço tão bem, mas igualmente fascinante 🙂 Adoro o hotel Monte Carlo e a sua arquitectura única, pena ser pouco conhecido e contemplado. Não conhecia a residencial de Santa Clara, só de vista, mas não sabia a sua história, é um edifício muito bonito, O Museu da Quinta das Cruzes já visitei-o 2 vezes, mas não sabia da existência de uma estufa de orquídeas, como adoro flores, vou visitar a quinta outra vez 🙂 O Convento de Santa Clara nunca visitei-o por dentro, pelas fotos parece-me belíssimo. Adorei também os pormenores dos azulejos no miradouro, tão típico de Portugal. Um excelente post, parabéns e continuação de bom trabalho na divulgação da nossa Madeira 🙂

    http://linharetapf.blogspot.pt/

  6. Adorei saber um pouco mais sobre a Ilha; sou brasileira e não conheço. Meus pais nasceram/viveram aí..um lugar encantador que espero um dia conhecer 😉

  7. Pingback: Travel Guide To Madeira

  8. Pingback: 5 cool things to do when you visit Funchal - From Madeira to Mars

  9. Acabei de regressar numa estadia maravilhosa no Hotel Monte Carlo e gostei muito de (re)descobrir os sítios por onde passeei durante esses dias. Aguçou ainda mais a minha vontade de regressar. Obrigada.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.