All posts filed under: Travel for two

Um fim de semana “Mãe e filha”, em Lisboa

Um fim de semana “Mãe e filha”, em Lisboa Este ano, no aniversário da minha mãe, preparei uma oferta especial – um fim de semana em Lisboa. Quando andei na Faculdade de Lisboa, sempre que a minha mãe me visitava, era uma grande alegria. Passávamos bons momentos juntas. Procurei recriar um pouco desses dias, para festejar o seu aniversário. A minha mãe adora Lisboa e tem sempre grandes histórias e memórias para contar especialmente da época antes e pós-revolução de 25 de abril, e eu sou toda ouvidos…   “Histórias…o testemunho do ser humano”. Sempre que fala sobre Lisboa, os seus olhos iluminam-se e o seu rosto transforma-se num sorriso, rasgado de nostalgia. Faz-me imaginá-la menina e moça, cantando fado, fazendo teatro e vagueando pelas colinas de Lisboa… A vida é feita de memórias e emoções. Sempre que for possível, quero relembrar esses momentos com minha mãe, partilhar os lugares que visitamos juntas, sentindo-nos vivas e felizes. Lisboa foi, assim, uma prenda para as duas. Esta cidade, a mais ocidental da Europa, tem 3 milhões de habitantes …

Paris para 2, 40 dicas

“Ela gostava de estar em Paris, cidade favorável para os amantes, onde os motoristas de táxi não interrompem um beijo …” Anais Nin Cada reunião é como a primeira vez; descoberta e emoção. Nunca me canso de Paris; há sempre um novo bairro para encontrar um novo local para relaxar, um novo grafiti para admirar … e depois há o Sena, este rio de histórias para contar, que nos transporta para um outro século. Desligo da realidade. Os sons de Paris … o movimento de Pigale e os seus moinhos, os cliques de câmaras que disparam frente ao Moulin Rouge, os barcos rio abaixo, os músicos do metro, os turistas sentados nos degraus de Montmartre e as vozes dos vendedores que vendem torres Eiffel em miniatura que piscam. As cores de Paris, rosa (como é lá a vida), os relvados verdes, os telhados cinzentos, o lago no Jardim das Tulherias e as lojas multi-coloridas como Pylones. E, claro, o cheiro de “Nutella Crepes”; que vício! Deixo-lhe aqui 4o dicas para um fim de semana a …

Se Santorini falasse…

Se Santorini falasse, contava-vos que aqui a vida é azul, celeste, da cor do céu, do mar e das 365 cúpulas das igrejas que existem nesta ilha (1 para cada dia do ano). Santorini é o muito que resta da erupção vulcânica, que formou esta enorme caldeira, que parece um lago e à volta da qual, se localizam as pequenas vilas desta ilha. Santorini tem cerca de 15 000 habitantes. A capital da ilha, é Fira. A principal fonte de receita é o turismo e a produção de vinho. Santorini vem do nome Santa Irene, mas o seu nome official é Thera que significa “ a mais linda”. As praias são de areia negra à excepção de duas, uma de areia branca e outra vermelha (dependem da camada geológica a que estão expostas). Fazem-se passeios de barco até à cratera do vulcão. Podemos nadar nas águas vulcânicas, 5 graus mais quentes. Oia é a vila mais antiga, lindíssima mas a abarrotar de gente, sobretudo das excursões que chegam dos cruzeiros, dos casais em Lua de …

things to do in lisbon

Lisboa a 2

  O que fazer em Lisboa? Os meus primos Justi & Roberto passaram recentemente férias em Lisboa; uma semana no Bairro Alto. Esta não foi a primeira vez que foram a Lisboa, já nos dias da universidade lá viveram, mas em diferentes áreas da cidade (Benfica, Avenidas Novas, Graça) mas para eles, nada se compara com a intensidade de viver no centro de Lisboa frenética. Aqui estão as suas sugestões divertidas do que fazer em Lisboa: Dormir em Lisboa: Num Alojamento Local no Bairro Alto, pelo preço, pela centralidade e pela possibilidade de deslocarmo-nos a pé para as zonas onde “tudo acontece” (Príncipe Real, Chiado, Baixa de Lisboa e Cais do Sodré). Existem alguns alojamentos com excelente classificação tal como o Rent4rest, que está bem localizado pois fica numa rua mais calma, porém muito próxima do centro da actividade nocturna. Reserve aqui. Ao contrário do que muitos possam pensar, a zona é muito segura (um amigo emprestou-nos um smart cabriolet, que estacionávamos nas ruas adjacentes, e não sofreu nenhum tipo de vandalismo) e, para além …

Ir a Roma sem ver o Papa…

Visitei Roma pela primeira vez, esta semana. Escrevo-vos do hall do meu Hotel. Está calor, mas os edifícios são antigos, paredes grossas, frescos. O sol entra pela janela e as ruas convidam ao passeio. Roma, a cidade eterna? Cliché ou verdade? Cheguei a Roma com muitas ideias preconcebidas, pelos comentários de amigos que diziam que Roma era ora linda, romântica, encantadora ora cansativa, uma cidade de multidões e onde há filas intermináveis para ver os monumentos. Depois havia os filmes, o humor do Woody Allen em “To Rome with Love” e Dolce Vita, uma Roma a preto e branco e cheia de estilo… Monumentos; Roma é um monumento, toda ela, a cada canto e ruela, há sempre um bocadinho de história para contar e recordar. Roma tem cerca de 2500 anos de historia, fala-se em a.C. (antes de Cristo) e desenvolveu-se devagar, daí que Roma não se vê num dia, nem numa semana, porque fica sempre algo por ver. Talvez seja por isso que surgiu a lenda de atirar uma moeda à Fontana de Trevi; todos querem voltar um dia a Roma. A título de curiosidade: foi no …

A viagem de Van Gogh

Sempre gostei dos seus quadros, lembro-me que muito antes de gostar de museus, já conhecia o quadro dos girassóis, através de um calendário que existia na cozinha da minha mãe. Agora, que me propus a saber quem é o homem por detrás do quadro, gosto ainda mais… No passado mês de Março, o turismo Holandês em parceria com a Expedia, promoveu uma campanha intitulada “Seguindo as pegadas de Van Gogh” #Vangogh2015. Van Gogh morreu há 125 anos mas a sua obra continua tão presente e atual. Os museus, as paisagens, as pinturas e os pensamentos, que acompanham a sua viagem pela vida,  revelam-no como uma pessoa fora de série. Vicent Van Gogh viveu apenas 37 anos (a minha idade), tendo nascido numa familia ensombrada pela morte do primeiro filho no nascimento, a quem lhe tinha sido atribuido o seu nome, Vicent. Mais tarde, nasceu o seu irmão Theo que foi também o seu melhor amigo e companheiro. Começou a pintar aos 27 anos. Suicidou-se aos 37. Durante 10 anos pintou cerca de 900 quadros e escreveu mais de …

“Era uma vez em Paris…”

“Era uma vez em Paris” é o nome de um bar que adoro na cidade do Porto, tem aquele ar burlesco e uma banda sonora excelente, mas não é do Porto que falo neste post… Vou antes falar-vos de como foi em Paris ,cidade, que inspirou um dos meus filmes preferidos: O fabuloso destino de Amelie Poulain. Conheci-a pela primeira vez há 12 anos atrás. Cheguei de malas a tiracolo para ficar 3 meses. Era Erasmus na Faculdade de Medicina Veterinária de Maisons Alfort . Vivia na Universidade. Adorei. Aprendi. Estudei. Conheci. E quando as aulas terminavam partia à descoberta da cidade e apaixonei-me completamente. Percorri Paris lentamente, com prazer. Saboreando cada descoberta, cada conquista, cada aprendizagem. As memórias desses dias passam por dar mais uma volta de metro só para ouvir tocar acordeão… ir às galerias Lafayette arregalar a vista…comer um crepe com nutella na rua…e as inúmeras visitas ao nível 5 do museu de Orsay. O museu onde aprendi a gostar de museus. Só por ele, uma visita a Paris já vale a pena. …

Weekend getaway: London

Friday, 4:00 p.m. Arrived in London by train from Scotland. Hoped off at Queensway metro station and it was a 5 minutes walk until we reached the hotel. Strolling Notting Hill streets towards UMI Hotel London ,  felt like getting to my private apartment,  in one of London’s most known neighborhoods. There were children getting out from school, tourists taking pictures at metro’s logo entrance, hip shops and white painted houses in a row and there I was arriving at hotel’s first door steps. It was winter time and snow was forecasted for the next few days. A warm entrance and friendly receptionist  welcomes me “home in London“. The  hotel ‘s lobby was very nice…lots of light coming in from the big bright wooden windows lying along the front of the building and also inside my room. They had also o a handy cafe/restaurant that opened at night, for snacks and drinks. The room had a comforting white linen bed (white beds are the best) with a private bathroom and a hot strong streaming shower, the perfect ending for a long day travel! Saturday Waking …