All posts filed under: Fotos e pensamentos

Sessões Fotográficas na Madeira

Sessões Fotográficas na Madeira Há uns meses atrás, comecei a ver no Instagram algumas fotos da Madeira, que me captaram a atenção. Havia algo de diferente…a luz, a composição, o estilo, e até mesmo a citação! 🙂   View this post on Instagram Well… I can't keep that in my hard drive. #hadtopost _ On the pic : @kennylkemp _ #madeira #visitmadeira #madeiraisland #postthepeople #portraits_mf #portteaifromtheworkd #awesome #photo #awesomeearth #earthfocus #earthpix #earthofficial #naturephotography #travelawesome #travelworld #Sky #sunset #landscape A post shared by Benjamin BEGIN 📸 (@benjamin_artwork) on Apr 14, 2018 at 10:22am PDT Enquanto percorria a galeria, gostei de todas as fotografias, e fiquei curiosa…Quem é Benjamin Begin?   View this post on Instagram As always, pic by @kennylkemp A post shared by Benjamin BEGIN 📸 (@benjamin_artwork) on Nov 14, 2017 at 5:18am PST   A biografia indicava o seu site e lá encontrei que fazia sessões de fotografia. Como precisava de novas fotos para o meu Airbnb e arredores (e tinha acabado de receber a t-shirt Walkingframe From Madeira to Mars), estas sessões de fotografia pareceram-me …

Design Centre Nini Andrade Silva

Sobre o Empreendedorismo…

No mês passado, passei uma das manhãs mais interessantes dos últimos tempos. À conversa num círculo de mulheres, tive o prazer de participar num debate organizado pelo Departamento de Economia e Cultura da Câmara Municipal do Funchal, através da Biblioteca Municipal do Funchal, com o intuito de promover a cultura empreendedora, intitulado: Empreender + “Conversando sobre Empreendedorismo”. Ouvi tantos testemunhos inspiradores, que me fez sentido juntar, neste artigo, alguns dos conselhos partilhados: 1- Não escolham um curso, apenas e somente, porque “tem saída”… 2- “Batam à porta até que ela se abra”. Pratiquem a persistência, a gratidão e a humildade. É preciso agarrar as oportunidades que surgem, ou fazê-las surgir. Por vezes, demora muito tempo, a recompensa não é imediata! 3- Usem bem o vosso tempo. Trabalhar e dar o melhor de nós, sem queixas ou preguiça. 4- Não há falhanços, há simplesmente novos caminhos (imprevisíveis) de chegar à meta. 5- Lutem contra o medo. Não pensem só no que pode dar errado…também aprendemos com a tentativa (e erros). 6- Cultivem-se! Nunca parem de aprender, …

From Madeira to Mars vai à FNAC!

From Madeira to Mars vai à FNAC! A FNAC e eu, um namoro antigo. Conheci a FNAC pela primeira vez quando vivia em Paris. Fazia parte do programa ERASMUS, em estágio na École Veterinaire Maisons Alfort. Uma das vantagens de ser ERASMUS é ter montes de tempo livre, e conhecer outras realidades profissionais e culturais. Aprender a estar sozinha, num país estranho e a descobrir o estranho que há em nós, é talvez a maior vantagem. Com tempo livre e uma colega de quarto parisiense, a Muriel, descobri que os parisienses têm um sentido de humor delicioso e que nos leva a encantos invulgares. Foi a Muriel que me falou do Cirque du Soleil pela primeira vez, que me ensinou a comer macarrão com queijo ralado e crepes com nutella e rodelas de banana. Foi ela que me levou ao cinema para descobrir um dos meus filmes favoritos de todo o sempre – “O Fabuloso destino de Amélie Poulain” – sim, foi em 2001. Caminhar nas ruas de Paris com a Muriel era como conhecer …

Sobre o MIUT

Sobre o MIUT Este ano propus-me a acompanhar o MIUT, Madeira Island Ultra Trail. Aquilo que me parecia um trail digno de levar qualquer um à loucura, revelou-se uma meta de aprendizagem, de uma beleza inesquecível. Acompanhei o trail com 115 km, cuja partida ocorreu às 0h do Porto Moniz. O Evento Madeira Island Ultra Trail – MIUT Trail Running ultra race at Madeira Island O ambiente na partida era ora de festa, ansiedade e preparativos, ora de silêncio, descanso e meditação. Alguns atletas descansavam nos muros junto ao mar, outros deitavam-se na relva para aproveitar os últimos minutos em posição horizontal. A partida, tal como a chegada, teve momentos de grande emoção, mas emoção suprema foi a vivida entre trilhos, longe da vista dos demais; a que só quem participa, é que pode contar, não eu. Vídeo da partida :  MIUT 2017 Posso apenas falar do que vi e senti ao longo das 17 horas que acompanhei o trail. Vi atletas que chegavam aos postos de abastecimento, completamente desmoralizados e desiludidos com a sua …

A Madeira vista por um fotógrafo Francês, Xavier Schneider

A Madeira vista por um fotógrafo Francês, Xavier Schneider Na minha opinião, uma das grandes vantagens de ter um alojamento local (airbnb) é a oportunidade de conhecer pessoas interessantes, de diferentes partes do mundo. Este mês, conheci o Xavier Schneider que veio cá passar uma semana de férias com a encantadora Emilie. Sorte a minha, escolheram ficar no meu apartamento e assim tive o privilégio de os conhecer pessoalmente. Trocamos contactos e após o seu regresso a França, o Xavier enviou-me algumas fotografias, captadas na Madeira. Fascina-me ver a nossa ilha, pelos olhos dos que nos visitam. Há sempre uma nova perspetiva, uma nova consciência, algo que me escapou à vista e que agora consigo ver, assimilar e entender. Cresço com este novo olhar e valorizo, ainda mais, o que temos cá perto, na ilha. Tenho agora o privilégio de vos mostrar as fotografias do Xavier, através deste artigo. Seu objetivo como fotógrafo é capturar emoções e paisagens mágicas, com luz sublime. Gosta de partilhar a felicidade que sente ao tirar essas fotos. Espero que …

No meio é que está a virtude?

“No meio é que está a virtude? Nunca soube ser mulher de meios-termos. Nunca soube pedir pão com pouca manteiga, bolos com pouco acúcar ou bicas claras. Não compreendo sexo indefinido, relações mal acabadas, sol tapado com a peneira e muitos outros conceitos de sub-aproveitamento. Se é para ser então que seja, “sem nada ou com muito” é o meu lema no que se refere a sentimentos ou questões de gosto. Não consigo gostar “mais ou menos”, embora queira muito atingir o virtuoso equilíbrio. Serei então uma desequilibrada assumida, por natureza ou convicção. Isso traz-me tantas desilusões, a mim e aos que me rodeiam e só eu sei o que me custa. É que logo que estou a atingir o equilíbrio supostamente necessário para viver em harmonia, não hesito em puxar-me o tapete e caio de 4 no chão. Fico por lá um bocado, a pensar porque é que tenho esta mania auto-infligida. Logo (ou não), devagar e com nódoas negras, lá me levanto de novo, pronta para a próxima queda ou voo (depende da …

Madeira

19 sinais que indicam que és da Madeira

A propósito desta publicação que encontrei, há tempos, desafiaram-me a escrever sobre os: 19 sinais que indicam que és da Madeira: 1. Adoras o mar e não consegues viver sem ele. 2. Se te perguntam qual é a melhor praia do Mundo? A do Porto Santo, sem sombra de dúvida. 3. Também não há dúvidas que a Ilha da Madeira é a mais bonita do Mundo, e só depois os Açores.;) 4. Vibras com os Arraias, música, ‘vinho com laranjada’ e bolo do caco com manteiga de alho. 5. Sair à noite, significa sair para tomar um copo, de preferência a partir das 11h da noite, que a vida nocturna começa tarde e acaba de madrugada. 6. A palavra ‘Poncha’ faz-te sorrir. 7. Adoras o Natal, em especial a noite do Mercado e as Missas do Parto. 8. Adoras o Carnaval e a Festa da Flôr. É muito provável que já tenhas desfilado nas ruas do Funchal. 9. A melhor passagem de Ano é na Madeira, de certeza. 10. Adoras viajar e a emigração faz …

Sobre a simplicidade da Felicidade…

Sobre a simplicidade da felicidade… Nunca se falou tanto sobre felicidade. Coaching, mindfulness e livros de auto-ajuda crescem a olhos vistos, nas montras das livrarias das cidades. Cresce, também, a busca incansável de sermos felizes a tempo inteiro, como se isso fosse uma carta do baralho do jogo que é a vida. Se há uma coisa que a minha viagem à Índia me mostrou é que a felicidade pode ser simples, clara e descomplicada, mas que as nossas civilizações ocidentais, (ditas evoluídas) se calhar tornam complexo. Lá, ser feliz é ter um teto para dormir, comida para sobreviver, saúde e paz. O contrário é ser infeliz. Isto não se aprende na escola, nem na Universidade, vê-se na rua, nos olhares, no sentir. Poder dormir uma sesta em paz depois do almoço, não ter calor nem frio, poder beber água, sem apanhar doenças, poder tomar banho de chuveiro e não às garrafadas, poder lavar os dentes com água da torneira, ter fruta e vegetais frescos, estar com a família, poder sustentar os filhos, ter saúde. Quando …

Sobre o divórcio

Baseada numa reportagem, que vi há dias na TV, Portugal tem uma média de 70 divórcios por dia… Resolvi partilhar uma carta que escrevi a mim própria, um dia destes. “Uma das decisões mais difíceis da vida de uma mãe é a de um divórcio. A vida é dura que se farta e quando se tem filhos deixamos de poder andar a “brincar“. Com filhos a vida tem outro sentido, outro sabor, aliás é como se tudo. de repente, começasse a fazer muito mais sentido… Quando senti o ser mãe pela 1ª vez senti que a vida era melhor. “ Ahhh agora sim, já percebi isto do andar no Mundo…” O sentido de não poder falhar de providenciar, sobreviver e dar o exemplo. Agora já não posso desaparecer se me apetecer, já não posso largar o emprego e ir para África fazer voluntariado, já não me pode dar “um vipe”, “uma louca”, um devaneio, agora deixemo-nos de brincadeiras, tenho filhos ok? E começa assim uma nova etapa, somos crescidos, somos todos adultos e seriamente responsáveis. …

Sobre ser Mãe

Sobre ser mãe Muitas mulheres descrevem o nascimento de um filho, como o momento mais bonito das suas vidas. Acaba por ser um contrassenso porque, provavelmente, é também o mais doloroso. O meu foi ambos e de ambos os filhos. Dois partos naturais, (um sem epidural, livra!), mas quando tudo passa e os tive nos braços foi, sem dúvida, o momento mais bonito da minha vida. Senti paz, harmonia, um coração que jorra felicidade, orgulho e amor aos esguichos. Quem me dera poder guardar essas emoções num comprimido e tomá-lo de vez em quando, seria garantidamente o mais vendido no Mundo. Azar (ou sorte) que isto não se produza sinteticamente, é tudo naturalmente biológico e orgânico. E depois começa a dor. A dor de vê-los chorar e com cólicas, a dor das 1as vacinas ou do nascimento dos primeiros dentes. A dor do primeiro dia do regresso ao trabalho e a primeira noite que dormimos sem eles. A dor da primeira doença, da ida ao hospital ou da primeira vez que tiram sangue para fazer …