Month: janeiro 2015

Férias em MIAMI

Tenho uma sobrinha (também afilhada) HELENA  com H, adolescente, que vive em Espanha e adora viajar. Desde muito cedo que se interessa pela fotografia e pela escrita (deve ser de família :)). Tenho muito orgulho nela porque, mais que talentosa, é um doce de pessoa. No Natal passado fizeram uma viagem, em família, a Miami. Aqui ficam, “na sua voz”, as suas dicas e impressões. “Desde que era pequeña he querido ir a USA, y este año he tenido finalmente la oportunidad. Para mis padres ha sido muy complicado escoger la ciudad  que ibamos a visitar, pero estoy segura de que hicimos una buena elección. Basándonos en el clima, la época del año, opiniones de amigos que ya habían estado, y el hecho de que tenemos familiares viviendo allí, hemos escogido Florida, en concreto Miami, para las vacaciones de Navidad. Pasamos cinco días allí que sólo puedo describir como emocionantes y mágicos. Lo que me gustó más? No soy capaz de decidir qué fue lo que me gustó más de esta increíble ciudad, si los rascacielos de Downtown, los coloridos edificios …

‘Flashback’ 2015

‘Flashback’ 2015. Olhar para trás e para a frente. Centrar. Focar, disparar, seguir a creatividade, a intuição e a aventura. Este ano passei a amar, cada vez mais, a ilha onde nasci. Não me canso de fotografá-la. Sinto que há ainda tanto por descobrir e explorar – vontadinha não me falta. Com os pés bem assentes no chão e a cabeça (quase sempre) nas nuvens, 2015 foi assim: O nosso mar. A sensação de estar nas nuvens. O campo. Funchal e suas flores. Lapas, coral, bolo do caco e o mar. ‘E mai nada’… A ilha do Porto Santo. As minhas viagens em 2015. Madrid Auvers sur Oise Lisboa Santorini Porto Roma Paris Londres E finalmente, a viagem mais memorável de 2015, a minha ida a Calcutá. Um grande OBRIGADA a todos os que me seguiram por aqui. Que o ano de 2016 nos permita focar nas coisas boas da vida. Até ao próximo ano! Sonhem MUITO … Nota: Se ainda não sabe o que vai fazer para comemorar o ano novo em grande estilo. …

profissões

Sobre as profissões…

Os meus filhos estão a chegar aquela idade em que a pergunta que mais lhes fazem é: – O que é que queres ser quando fores grande? É incrível, a quantidade de pessoas que dizem: – Não queres ser médico? Na minha última viagem a Dublin, conheci um sr que me contava que a filha era maquilhadora de cinema. Desenhava cicatrizes, sangue e nódoas negras mas também fazia as pessoas ficarem mais bonitas. Andava sempre nos bastidores do teatro e como extra tinha que suportar as crises existenciais das actrizes, que achavam não estar bonitas que baste. Dizia isto com um orgulho extremo, acompanhado pela frase: – Ela é feliz assim; é o que ela sempre quis ser! Quando lhe perguntei, como é que esta ‘paixão’ surgiu, respondeu-me que ela andou numa escola ‘alternativa’ onde os alunos não eram avaliados em números, mas em aptidões. Por exemplo, recebiam um diploma por ter ajudado tal colega naquela semana, por ter criado um desenho bonito, por ter aprendido a tocar um instrumento, por ter consolado um colega …

É Quinta -feira e “saltou-nos a tampa”

  Há tempos, encontrei-me com uma amiga que me contava (um pouco envergonhada) que se tinha “passado” com um familiar. Filosofamos um pouco sobre esta necessidade (contida mas que às tantas se torna incontrolável, se provocada) de extravasar as emoções; perdemos as estribeiras e as palavras saltam-nos da boca. No fundo, é como uma panela de pressão, há que abrir a válvula e deixar sair o vapor porque senão rebenta. Já diz o ditado “quem não se sente, não é boa gente” e “mostrar sentimentos não é sinal de fraqueza mas sim de força interior “. Há muitas maneiras de libertar as pressões do dia a dia, há quem faça exercicio físico, há quem precise de falar e deitar “cá pra fora” e há quem escreva. Foi assim que conheci a Beatriz Braga: num curso de escrita criativa online. “Beatriz, a Feliz” pode bem ser o título do livro da vida desta aspirante a escrevente de mini-textos baseados em mini-aventuras que a vida até agora lhe trouxe! É na escrita que está a encontrar maneira …

Instagram contas-me uma História?

Se há uma aplicação que eu gosto muito é o INSTAGRAM. Gratuito, privado ou público; vocês escolhem. Escolhem também quem querem seguir desde o Jamie Oliver ao National Geographic, Mafaldapintoleite, GarethPon, TimBrado, Humansofnewyork, notmynonni, e claro, os madeirense laurafbrm, plencastre, madeiralovers ou ricardoramin – alguns dos meus favoritos. O que é que mais gosto no Instagram? Gosto das histórias que as fotografias contam, de ver aquilo que não vi, gosto das citações que fazem refletir, gosto de recordar a minha própria história e de acompanhar os amigos que estão longe.   Hoje apeteceu-me partilhar convosco algumas das minhas histórias, muitas delas partilhadas no Instagram do Budgettraveller, que contam um pouco da nossa vida e das viagens ao longo destes últimos 2 anos. ( Cliquem nas Fotos para lerem mais sobre a fotografia) Se gostarem, sigam-nos por aqui: frommadeiratomars e budgettraveller. Divirtam-se e sejam felizes em 2015. Beijos Sofia Não deixem morrer a vossa criatividade, fotografem o que vos apetecer e divirtam-se!